Uma reunião de trabalho no último dia 09 de setembro de 2019 marcou o lançamento oficial do Projeto “Saindo do Automático – Luz, Cor, Preto e Branco”, da DZ.7 Realizações Artísticas e Culturais, que vai oferecer cursos gratuitos de fotografia para 160 adolescentes com idades a partir dos 14 anos, jovens, adultos e idosos de Sumaré ao longo do próximo ano. O objetivo é capacitar os alunos até mesmo para atuar profissionalmente na área.

O encontro da equipe do projeto aconteceu na sede da IC Transportes, empresa sediada em Sumaré que é a patrocinadora da iniciativa de caráter social, através do ProAC-ICMS/SP (Programa de Ação Cultural da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo). O projeto tem apoio do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura de Sumaré, que deve ceder os espaços onde os cursos serão ministrados.

Pela equipe da DZ.7, participaram da reunião os diretores Wilson Basso e Carlos Braga (proponente do projeto junto ao ProAC), além dos “oficineiros” Fabio Guerra e Sérgio Damasceno. Pela IC Transportes, participaram da definição dos detalhes finais do projeto a supervisora de Planejamento Estratégico Geisa Trevizan, a auxiliar de Qualidade Paola Alves e o auxiliar de Marketing Mathews Noviello Salustiano.

As inscrições dos interessados em participar da pré-seleção para as vagas devem começar esse mês de Outubro, em um site específico que será criado para esta finalidade e divulgado em breve.

As aulas devem começar no 1º semestre de 2020 – incluindo uma aula inaugural que está sendo planejada para acontecer nas dependências da própria empresa patrocinadora.

Ao longo de seis meses de curso, em quatro núcleos em locais ainda a serem definidos e divulgados, serão promovidas 8 turmas, de 20 alunos cada – totalizando 160 sumareenses atendidos. Os beneficiados receberão todos os ensinamentos básicos teóricos e práticos, ganhando um suporte muito valioso para quem quer ingressar na profissão de fotógrafo.

“O projeto tem como finalidade oferecer um curso-oficina cultural para jovens, adultos e idosos que queiram descobrir os segredos e os encantos da fotografia profissional. O objetivo é fazer com que os alunos despertem para uma nova profissão, para um interesse artístico e profissional do que o vasto campo da fotografia tem a oferecer”, afirmou o produtor cultural Wilson Roque Basso, proponente do projeto junto ao também produtor Carlos Braga, ambos da DZ.7.

“Decidimos apoiar o projeto porque temos enraizado em nossa cultura o dever de colaborar com o desenvolvimento da sociedade ao nosso redor. E vimos que, com o apoio da IC Transportes, o ‘Saindo do Automático – Luz, Cor, Preto e Branco’ irá fortalecer muito a visão profissional e promover todo o desenvolvimento dos participantes como pessoas na sociedade, e assim contribuir para uma vida melhor dessas pessoas”, comentou Geisa Trevizan.

O curso

O título “Saindo do Automático” já sugere que o aluno irá se desprender daquilo que é imediato e instantâneo, experimentando realmente como funciona uma máquina fotográfica profissional e como ela deve ser usada adequadamente para obter um bom resultado de luz, cor, enquadramento, composição, tema, preto e branco e além de permear às linguagens da fotografia no campo do: jornalismo, moda, publicidade, documental e eventos esportivos e sociais.

Neste curso, os alunos irão realmente aprender manusear uma máquina fotográfica, utilizando todos os seus mecanismos e recursos de ajustes como: fotômetro, ISO, lente, filtro, etc. “Saindo do Automático” tem o intuito de ensinar realmente o processo técnico e artístico da fotografia. Propor a cada participante um olhar diferente do mundo em que vive e claro, experimentar uma nova profissão, expandindo os horizontes da percepção.

As inscrições

Os interessados deverão passar por uma entrevista para saber o grau de interesse pela fotografia. Essa entrevista será feita pelos oficineiros e a triagem será feito através de documentos probatórios de que a pessoa pertence à faixa de baixa renda da população, que vai compor os 35% das vagas. Para os alunos da 3ª idade, serão destinados outros 35% das vagas, e os 30% restantes serão destinados ao público em geral.

Serão oferecidas oito turmas de 20 alunos, com seis encontros cada, atendendo a 160 alunos gratuitamente. O curso-oficina terá a duração de seis meses, com aulas aos sábados, no período da manhã (das 8h às 12h) ou da tarde (das 14h às 18h), totalizando 48 encontros em 24 sábados e numa carga horária de 384 horas/aula.

O projeto irá oferecer a todos material prático (equipamentos e acessórios) e materiais adicionais (pasta, caneta, caderno, lápis e etc), além de lanche para os alunos, durante os intervalos das aulas.

Ao final, os alunos serão contemplados com certificados de conclusão do curso e também farão parte de uma exposição aberta ao público em geral com seus melhores trabalhos, selecionados durante o processo de aprendizagem, perfazendo 160 imagens. “A mostra dos trabalhos dos alunos será uma forma de incentivá-los ainda mais na carreira e também uma forma de expor a criatividade ao grande público à sua apreciação”, justificou Fabio Guerra.