Aos 19 anos, Luiz Parodi reúne mais de 1.400 cliques de aves, mamíferos e paisagens.

Admirador da natureza desde pequeno, Luiz Ricardo Parodi encontrou na fotografia um jeito simples de contemplar os detalhes da fauna e flora brasileiras.

Aos 19 anos, o jovem fotógrafo aproveita os finais de semana para registrar as aves de Campo Grande (MS) e de outras cidades, que visita com amigos e familiares. “Por onde passo faço fotos da natureza. Taboco, no município de Corguinho (MS), é um lugar muito especial, rodeado por rios e morros, cheio de vida”, conta.

Dedicado aos cliques desde 2017, o militar voluntário do Exército Brasileiro reúne mais de 1.400 cliques de 160 espécies de aves e outros animais. “Um dos registros mais especiais é de um filhote de tamanduá-bandeira nas costas da mãe. Flagrante que fiz na companhia de Alan Carlos Arrais”, lembra.

Veja também: Fotógrafo brasileiro é finalista no 25º Concurso Latino-Americano de Fotografia Documental

Além de acompanhar o jovem fotógrafo nas expedições fotográfica foi Alan quem incentivou a prática. “Quando ganhei meu primeiro celular passei a registrar a natureza, sem conhecimento de técnicas e composições. O Alan, então, me ensinou a manusear câmeras, regular a fotometria e o enquadramento”, explica Parodi, que encontra inspiração em grandes fotógrafos para ‘caçar’ flagrantes.

“A frase de Chris Marker me inspira muito. Quando eu estou fotografando me sinto em paz, sinto uma energia muito boa quando estou conectado com a natureza”, finaliza.

A foto é a caça, é o instinto de caça sem a vontade de matar. É a caça dos anjos. Perseguimos, miramos, atiramos e CLAC! Ao invés de um morto fazemos um ETERNO!

— Chris Marker, cineasta e fotógrafo